Paulo vai à mesa com Maia. Bancada abre debate hoje

quarta-feira, 9 de dezembro de 2020


 A reunião da bancada federal do PSB para debater a sucessão de Rodrigo Maia, originalmente, seria ontem. Mas acabou adiada para esta quarta-feira, às 11h. Será o primeiro encontro dos deputados socialistas sobre o tema. Em um cenário tido como de "muita indefinição", após o Supremo Tribunal Federal (STF) vetar a reeleição para as presidências da Câmara e do Senado, o governador Paulo Câmara, vice-presidente nacional do PSB, foi à mesa com Rodrigo Maia ontem. O democrata ofereceu almoço ao socialista, em Brasília, como a coluna antecipou. A agenda carrega um simbolismo porque se deu um dia após o candidato do PP à presidência da Câmara, Arthur Lira, passar pelo Palácio das Princesas "pedindo a benção" do governador para a disputa. O gesto de Maia, na sequência, na direção de Paulo Câmara acendeu sinal de alerta entre aliados de Lira. No PSB, no entanto, não há fato consumado.


O deputado Tadeu Alencar, à coluna, diz o seguinte: "O processo de sucessão está só começando. É uma decisão muito relevante, para a terceira posição na linha sucessória, além das atribuições do cargo: definição de pautas, relatorias, CPI’s, pedidos de impeachment". O socialista não descarta até mesmo o surgimento de novas candidaturas. "Vamos ouvir todos os candidatos, os declarados e os que podem ainda surgir, conhecer os projetos, o programa, a relação com o Poder Executivo. O Legislativo não pode ser uma extensão do Executivo, a sua longa manus. Ainda mais num governo com inclinação autoritária", observa Tadeu. Rodrigo Maia vem realçando grande preocupação com a independência do Legislativo. Tadeu pondera que essa premissa vale para todos os candidatos e chegou a colocar isso para Arthur Lira no Palácio das Princesas na segunda-feira. Tadeu resume: "Ninguém tem, a priori, a chancela de que um vai ser independente e outro não vai ser". E arremata: "O processo vai ganhar velocidade, mas acabou de começar e como tem água para escorrer embaixo dessa ponte". Na Capital Federal, ontem, onde esteve com Maia na residência oficial, Paulo Câmara já cumpriria agenda com o ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, sobre o Programa Nacional de Imunização contra a Covid-19. O governador retorna, hoje, a Pernambuco. 


 



Reunião do diretório no radar

Haverá reunião do Diretório Nacional do PSB sobre a sucessão na Câmara Federal, na próxima sexta, por vídeoconferência. Na eleição anterior para Mesa, em 2019, havia bom diálogo com Rodrigo Maia, que chegou a ser recebido em almoço no Recife, mas a chegada do PSL no bloco acabou embaraçando o meio de campo, com o PSB.


Indefinição > Hoje, essa relação com o presidente Bolsonaro, no caso de Arthur Lira, pode pesar na conta, aos olhos do PSB, mas não tem sido apontada, entre socialistas, como determinante na decisão, até porque Maia não tem nem candidato definido ainda.


Bloco > O tamanho do PSL interessa a Maia que já procura consolidar um bloco e a divisão de espaços na Mesa já começou a ser articulada, segundo quem acompanha as negociações, desde a semana passada, quando Rodrigo ofereceu jantar a líderes da Oposição em Brasília, como a coluna cantara a pedra.


Vacina > Após reunião com Eduardo Pazuello, Paulo Câmara ressaltou que "toda logística de distribuição nacional está garantida, inclusive com anúncio, ainda esta semana, como também aquisição dos EPI´s, seringas, equipamentos para conservação da vacina". Ouviu do ministro ainda que o Plano Nacional de Imunização está pronto e, inclusive, será enviado ao Supremo Tribunal Federal.

Últimas Postagens

Facebook

Arquivo do blog

Visualizações de página