Dr. Alex Fernando diz que todas as vidas importam, e se solidariza com a família do PM assassinado no Rio de Janeiro e tantas em Pernambuco

quinta-feira, 10 de dezembro de 2020

 


O Psol Surubim se manifestou nas redes sociais sobre a criação de fake News envolvendo o Deputado Federal do Psol Marcelo Freixo, disseminadas a partir do brutal assassinato do PM Derinaldo Cardoso no último dia 4, no Rio de Janeiro. Leia abaixo o texto postado no perfil do instagram do partido (psolsurubim50):

Desde o lamentável ocorrido na última sexta-feira (04) onde o PM Derinaldo Cardoso foi brutalmente assassinado em serviço, a extrema direita e sua máquina de ódio estão produzindo inúmeras fake News envolvendo o nome do Psol e de seus filiados, em especial o Deputado Federal Marcelo Freixo, lhe atribuindo um tuíte que “confirmaria” a posição do partido como “defensor de bandido”. Mais um episódio triste que foi covardemente usado pela milícia digital para nos atacar e manipular a opinião pública contra a esquerda. Infelizmente se faz necessário vim novamente a público para desmentir todas essas informações e reforçar que fake News é CRIME! Em momento algum o partido ou seus integrantes ofereceram abrigo e advogado ao acusado e esperamos que o mesmo seja punido dentro das diretrizes da lei do nosso país.

A Polícia Militar brasileira está muito longe de ter as condições adequadas de trabalho, e são pessoas como Marcelo Freixo, que trabalham para a melhoria da vida dessa parcela da população. Freixo presidiu a Comissão de Direitos Humanos da Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro por 10 anos, realizando trabalhos de assistência aos familiares de policiais assassinados, além de ser autor, junto com o Comando da Polícia Militar, do protocolo que estabelece regras para a prestação de auxílio a esses familiares e aos policiais feridos em serviço. 

O Psol se solidariza com a dor da família do PM assassinado, assim como a de todos os outros que morrem em meio a essa guerra sem fim. Como bem disse o Prof. Chico Alencar, “O PSOL luta contra uma visão fracassada de segurança pública calcada no simples enfrentamento e na morte e não contra policiais que apenas reproduzem a desorientação institucional do Estado.” 

O Presidente do Psol Surubim, Dr. Alex Fernando também se pronunciou em seu perfil no instagram (@dr_alexfernando50). Além de repostar a publicação da página do partido, comentou: “A guerra não é contra a PM e seus integrantes, e sim contra esse sistema falho de segurança pública, que não consegue sequer dar boas condições de trabalho aos agentes, principalmente os que estão na linha de frente de combate à violência. Todo o meu respeito aos policiais que cumprem o seu dever, mesmo com condições inadequadas de trabalho. Não estamos de lados opostos! É importante frisar esse detalhe, que eu, enquanto presidente do diretório do Psol Surubim, estou ao lado dos cidadãos! Nenhuma luta deve ser deslegitimada, nenhuma vida deve ser perdida em vão. Meus sentimentos a família do PM Derinaldo Cardoso e a todas as famílias de policiais que perderam suas vidas em serviço.”

Paulo vai à mesa com Maia. Bancada abre debate hoje

quarta-feira, 9 de dezembro de 2020


 A reunião da bancada federal do PSB para debater a sucessão de Rodrigo Maia, originalmente, seria ontem. Mas acabou adiada para esta quarta-feira, às 11h. Será o primeiro encontro dos deputados socialistas sobre o tema. Em um cenário tido como de "muita indefinição", após o Supremo Tribunal Federal (STF) vetar a reeleição para as presidências da Câmara e do Senado, o governador Paulo Câmara, vice-presidente nacional do PSB, foi à mesa com Rodrigo Maia ontem. O democrata ofereceu almoço ao socialista, em Brasília, como a coluna antecipou. A agenda carrega um simbolismo porque se deu um dia após o candidato do PP à presidência da Câmara, Arthur Lira, passar pelo Palácio das Princesas "pedindo a benção" do governador para a disputa. O gesto de Maia, na sequência, na direção de Paulo Câmara acendeu sinal de alerta entre aliados de Lira. No PSB, no entanto, não há fato consumado.


O deputado Tadeu Alencar, à coluna, diz o seguinte: "O processo de sucessão está só começando. É uma decisão muito relevante, para a terceira posição na linha sucessória, além das atribuições do cargo: definição de pautas, relatorias, CPI’s, pedidos de impeachment". O socialista não descarta até mesmo o surgimento de novas candidaturas. "Vamos ouvir todos os candidatos, os declarados e os que podem ainda surgir, conhecer os projetos, o programa, a relação com o Poder Executivo. O Legislativo não pode ser uma extensão do Executivo, a sua longa manus. Ainda mais num governo com inclinação autoritária", observa Tadeu. Rodrigo Maia vem realçando grande preocupação com a independência do Legislativo. Tadeu pondera que essa premissa vale para todos os candidatos e chegou a colocar isso para Arthur Lira no Palácio das Princesas na segunda-feira. Tadeu resume: "Ninguém tem, a priori, a chancela de que um vai ser independente e outro não vai ser". E arremata: "O processo vai ganhar velocidade, mas acabou de começar e como tem água para escorrer embaixo dessa ponte". Na Capital Federal, ontem, onde esteve com Maia na residência oficial, Paulo Câmara já cumpriria agenda com o ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, sobre o Programa Nacional de Imunização contra a Covid-19. O governador retorna, hoje, a Pernambuco. 


 



Reunião do diretório no radar

Haverá reunião do Diretório Nacional do PSB sobre a sucessão na Câmara Federal, na próxima sexta, por vídeoconferência. Na eleição anterior para Mesa, em 2019, havia bom diálogo com Rodrigo Maia, que chegou a ser recebido em almoço no Recife, mas a chegada do PSL no bloco acabou embaraçando o meio de campo, com o PSB.


Indefinição > Hoje, essa relação com o presidente Bolsonaro, no caso de Arthur Lira, pode pesar na conta, aos olhos do PSB, mas não tem sido apontada, entre socialistas, como determinante na decisão, até porque Maia não tem nem candidato definido ainda.


Bloco > O tamanho do PSL interessa a Maia que já procura consolidar um bloco e a divisão de espaços na Mesa já começou a ser articulada, segundo quem acompanha as negociações, desde a semana passada, quando Rodrigo ofereceu jantar a líderes da Oposição em Brasília, como a coluna cantara a pedra.


Vacina > Após reunião com Eduardo Pazuello, Paulo Câmara ressaltou que "toda logística de distribuição nacional está garantida, inclusive com anúncio, ainda esta semana, como também aquisição dos EPI´s, seringas, equipamentos para conservação da vacina". Ouviu do ministro ainda que o Plano Nacional de Imunização está pronto e, inclusive, será enviado ao Supremo Tribunal Federal.

PE tem mais 765 casos do novo coronavírus e oito mortes; estado totaliza 190.415 confirmações e 9.148 óbitos

segunda-feira, 7 de dezembro de 2020


 A Secretaria Estadual de Saúde confirmou mais 765 casos do novo coronavírus e novas oito mortes provocadas pela Covid-19. Os dados estão no boletim divulgado neste domingo (6). Com isso, Pernambuco totalizou 190.415 registros da doença e 9.148 óbitos.
Ainda segundo o governo, entre os registros confirmados neste domingo 22 (2,9%) são casos de Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG) e 743 (97,1%) são leves.

Os registros do novo coronavírus estão distribuídos por todos os 184 municípios pernambucanos, além do arquipélago de Fernando de Noronha. Desde o início da pandemia, em março, segundo o estado, foram confirmados 28.276 casos graves e 162.139 leves.

Além disso, o boletim desde domingo registrou um total de 167.843 pacientes recuperados da doença. Destes, 18.019 eram pacientes graves, que necessitaram de internamento hospitalar, e 149.824 eram casos leves.

Danilo Cabral cobra explicações sobre aumento da tarifa de energia

terça-feira, 1 de dezembro de 2020

 


O deputado federal Danilo Cabral (PSB) questiona o Ministério das Minas e Energia pela decisão de reativar as bandeiras tarifárias nas contas de luz a partir de hoje (1º). A Aneel (Agência Nacional de Energia Elétrica) também estabeleceu o patamar vermelho 2 para este mês. Por causa das medidas, a tarifa terá um acréscimo de R$ 6,243 a cada 100 kWh (quilowatt-hora). O parlamentar destaca que, dessa forma, a Aneel revoga despacho publicado em maio que mantinha as contas em bandeira verde, sem custos adicionais para o consumidor, até o final de dezembro por causa dos efeitos da pandemia da Covid-19.

“Ainda passamos por um momento delicado na economia, com o desemprego batendo recorde no país e muitos setores estagnados. Os impactos desse reajuste serão sofridos pelos consumidores e por toda a cadeia produtiva, pressionando ainda mais os níveis de inflação”, afirmou Danilo Cabral. Os dados sobre desemprego no Brasil, segundo a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua Mensal (PNAD Contínua), divulgada no dia 27 de novembro de 2020, pelo IBGE, apontam para uma nova taxa recorde de 14,6% no trimestre encerrado em setembro, afetando 14,1 milhões de pessoas.

Ressalte-se que, em meio a piora nos indicadores econômicos e sociais, houve aumento considerável da inflação, em especial sobre os alimentos. Segundo pesquisa divulgada pelo Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese) a cesta básica teve alta de preços em todas as 17 capitais pesquisadas pelo órgão. Segundo o relatório Focus, divulgado pelo Banco Central no dia 30 de novembro de 2020, a projeção de alta para a inflação este ano foi revisada, de 3,45% para 3,54%. Esta é a 16ª semana consecutiva de piora das expectativas para o indicador.

O requerimento de pedido de informação apresentado por Danilo Cabral foi protocolado nesta terça-feira (1º). No documento, o deputado questiona o ministro Bento Albuquerque, por exemplo, sobre a situação dos reservatórios das usinas hidrelétricas do país, as medidas que estão sendo adotadas pelo Ministério para evitar a aplicação de bandeiras tarifárias, a política de expansão da geração de energia renovável em contraponto à necessidade de acionar as termelétricas. 

“A Eletrobrás tem mais de R$ 12 bilhões em caixa. Poderia utilizar esses recursos para investimentos na geração de energia e até mesmo para adotar alguma medida para mitigar os impactos do aumento da tarifa de energia sobre a saúde financeira das família brasileiras e sobre economia”, ressalta Danilo Cabral. 

O ministro das Minas e Energia tem 30 dias para responder ao pedido de informação a partir do seu recebimento, sob o risco de crime de improbidade

Últimas Postagens

Facebook

Arquivo do blog

Visualizações de página