Deputado Ossesio Silva debate desafios da juventude em sessão solene na Câmara

terça-feira, 13 de agosto de 2019


Brasília (DF) – Desigualdade social, integração às novas tecnologias, violência e oportunidades de trabalho foram temas abordados durante Sessão Solene requerida pelos deputados Ossesio Silva (PRB-PE) e Julio Cesar Ribeiro (PRB-DF) em comemoração ao Dia Internacional da Juventude, na Câmara dos Deputados. O evento teve a participação do vice-presidente da Casa, deputado Marcos Pereira (PRB-SP), do secretário da Juventude do PRB, Renato Junqueira, do deputado Manoel Marcos (PRB-AC), da secretária Nacional da Juventude do governo, Jayana Nicaretta, e de representantes da juventude.


O deputado Ossesio Silva convidou os presentes à reflexão apresentando índices do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). “Hoje, 47.3 milhões de jovens não estudam nem trabalham. A desigualdade social e a falta de oportunidades incentivam nossos jovens a desistir. A situação é mais marcante quando aplicada às raças”. Segundo Ossesio, enquanto 16% dos brancos nesta faixa etária trabalham e estudam, somente 11% de cor parda se aplicam à regra. “É importe falar da juventude negra. O desafio de combater a desigualdade social é nosso, de cada um de nós, parlamentares, e de cada um de nós, jovens”.


Julio Cesar Ribeiro enfatizou a relevância dos brasileiros com idade entre 15 a 24 na consolidação de melhorias sociais: “A participação da juventude é de suma importância para o cumprimento da democracia e para a construção de uma sociedade livre e justa. Os jovens são os principais parceiros na busca por soluções das questões vivenciadas atualmente no Brasil e no mundo”, disse.

O presidente do PRB, deputado Marcos Pereira, chamou atenção para o mercado de trabalho e para a integração da juventude às tecnologias. “Em tempos de indústria 4.0, de indústria robótica, do big data e de inteligência artificial, temos que preparar os nossos jovens para que sejam o futuro desta nação. Um estudo do Fórum Econômico Mundial aponta que daqui a 20 anos, 60% das profissões atuais não existirão mais por causa da Revolução Tecnológica. Portanto, se eu posso dar um conselho para vocês é para que se preparem para essa nova Era”, disse.

O deputado Manoel Marcos falou sobre violência. “O Acre passa por um período muito difícil, jovens estão perdendo suas vidas para o crime”. Ele explicou que o estado é a principal fronteira com a Bolívia e com o Peru, por isso, facções criminosas disputam pelo território. Em 2016, houve um aumento de 7,4% no número de mortes violentas de jovens em relação a 2015. Já no período de dez anos, entre 2006 e 2016, o crescimento registrado foi de 23,3% – dados do Atlas da Violência.

Ainda, sobre a morte prematura de jovens, a secretária Nacional da Juventude do governo, Jayana Nicaretta, falou sobre a Lei 13.819, de 2019, que institui a Política Nacional de Prevenção da Automutilação e do Suicídio. Segundo Jayana, o acesso aos dados facilitará na criação e promoção de políticas públicas.

O deputado Julio Cesar Ribeiro encerrou a sessão parafraseando o ex-presidente americano Frankling Roosevelt: “Nem sempre podemos construir o futuro para a nossa juventude, mas podemos construir nossa juventude para o nosso futuro
Últimas Postagens

Facebook

Visualizações de página