Diogo Moraes responsabiliza Prefeitura de Santa Cruz do Capibaribe por interdição de matadouro

terça-feira, 2 de abril de 2019


Em discurso na Reunião Plenária desta segunda (1°), o deputado Diogo Moraes (PSB) denunciou a interdição do matadouro público de Santa Cruz do Capibaribe (Agreste) em razão de problemas sanitários verificados, na última semana, por agências de fiscalização. O parlamentar criticou a gestão municipal, responsável pela administração do espaço, por cobrar apoio financeiro do Governo do Estado para corrigir as falhas apontadas.

De acordo com Moraes, relatórios da Agência de Defesa e Fiscalização Agropecuária de Pernambuco (Adagro) e da Agência Estadual de Meio Ambiente (CPRH) indicaram que o matadouro vinha apresentando condições precárias de higiene, falhas na estrutura física, ausência de equipamentos e de práticas de bem-estar animal, além da inexistência de tratamento de resíduos. Ele lembrou que o Ministério Público de Pernambuco (MPPE) também denunciou a questão, em dezembro de 2018, por causa das mesmas irregularidades.

“Os riscos à saúde pública e ao meio ambiente são enormes”, destacou o parlamentar. “A Prefeitura declarou em nota que, para atender às exigências, o município precisará de repasses financeiros do Estado”, disse, questionando a afirmativa. “Como o município culpa o Estado se o faturamento do matadouro é de cerca de R$ 100 mil mensais? Sem falar que o Governo de Pernambuco transferiu para Santa Cruz do Capibaribe, apenas neste ano, R$ 7,8 milhões”, acrescentou.

Diogo Moraes ressaltou, ainda, os investimentos estaduais na infraestrutura da cidade e da região, como a construção da Adutora do Capibaribe e obras de saneamento. “Como vice-líder do Governo na Casa, não aceitarei que nenhum gestor público fuja da sua responsabilidade e transfira a culpa ao Estado, que vem investindo e levando Pernambuco adiante”, concluiu.
Últimas Postagens

Facebook

Visualizações de página