Juntas relatam problemas relacionados à moradia no Recife

terça-feira, 26 de março de 2019


Questões relacionadas ao direito à moradia na Capital pernambucana mereceram considerações da deputada Jô Cavalcanti, representante do mandato coletivo Juntas (PSOL), durante a Reunião Plenária desta segunda (25). “Recife é um exemplo clássico de como os proveitos do setor imobiliário privado se sobrepõem ao interesse público”, afirmou.

A parlamentar lembrou o caso do Edifício Holiday, na Zona Sul, e relatou que os moradores continuam sendo removidos em razão da ordem judicial que determinou a desocupação do imóvel. Ela lembrou que a  Comissão de Cidadania protocolou pedido de tombamento do prédio, como forma de proteger a edificação de “possíveis intenções de demolição”.

O início da construção de um empreendimento de luxo no Cais José Estelita, no Centro do Recife, também mereceu comentários da parlamentar. Ela informou que representantes do PSOL têm acompanhado o caso, que voltou a ganhar atenção da opinião pública, nesta segunda, com a demolição de galpões do local. “Entendemos que aquela área deveria ser usada para projetos habitacionais, não para algo que servirá apenas a uma vaidade da minoria rica”, disse.

A deputada citou, ainda, a remoção de moradores da comunidade Caranguejo Tabaiares, na Ilha do Retiro, na Zona Oeste. Segundo ela, parte das famílias tem resistido em sair das casas para viver em um habitacional mais afastado do Centro. “Esperamos que as famílias não sofram qualquer tipo de violência”, frisou.

Por fim, mencionou a possível retirada de barraqueiros do entorno do campus da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), no bairro da Várzea. “São trabalhadores em busca da sobrevivência e que receberam um prazo de 15 dias para sair do local. Vamos estar presentes nas negociações ao lado dos trabalhadores”, comunicou a mandatária das Juntas.
Últimas Postagens

Facebook

Visualizações de página