Deputado Danilo exige providências para a barragem de Jucazinho

quarta-feira, 6 de fevereiro de 2019


O deputado federal Danilo Cabral (PSB/PE) apresentou, nesta quarta-feira (6), um ofício para o ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes, em que solicita providências para o início da recuperação da barragem de Jucazinho, localizada em Surubim, no Agreste pernambucano. É a primeira iniciativa do parlamentar no seu novo mandato na Câmara Federal voltada para o interior do estado. Além de cobrar o desdobramento da obra, Danilo Cabral apresentou um requerimento de informação em que questiona o motivo da obra não ter sido iniciada, mesmo com a ordem de serviço assinada pelo ex-presidente Michel Temer. "Buscamos, através do ofício e do requerimento, entender o motivo da obra não ter sido iniciada ainda e iremos pressionar para que isso ocorra imediatamente", afirma o deputado.

No último Relatório sobre Segurança de Barragens, divulgado no fim de novembro do ano passado, pela Agência Nacional de Águas (ANA), foi informado que a barragem de Jucazinho possui grande risco de rompimento por causa de problemas estruturais. Foram observadas fissuras e avaliado que a bacia de dissipação não é capaz de sustentar a vazão de água do rio. Ou seja, em períodos de chuvas intensas, há grande possibilidade de rompimento da barragem.  “Jucazinho é uma barragem muito importante para o estado, abastece 15 municípios do Agreste. Atualmente, está com um volume de pouco mais de 3% da sua capacidade, mas precisamos cobrar o posicionamento do ministro da Infraestrutura, visto que os recentes desastres em Minas Gerais expuseram de forma trágica a negligência e a precariedade do monitoramento do poder público sobre as barragens no Brasil. O risco de rompimento da barragem de Jucazinho vem sendo alertado há muitos anos", critica Danilo Cabral.

 Há cerca de dois anos, o então presidente Michel Temer esteve na própria Barragem de Jucazinho para a assinatura de duas ordens de serviço para a realização de obras sob responsabilidade do Dnocs (Departamento Nacional de Obras Contra as Secas). A primeira delas, a recuperação da fissura na fachada da barragem, um investimento de R$ 11 milhões, foi feita, permitindo que o reservatório acumule água sem riscos de rompimento. “Entretanto, ficou pendente a segunda parte da obra, orçada em R$ 40 milhões, que é de recuperação do vertedouro da barragem. As informações que temos é de que existe uma empresa contratada para realizar o serviço, mas a execução foi suspensa por questionamentos do Tribunal de Contas da União”, afirma Danilo Cabral. O TCU divulgou que a obra já foi liberada.

 “Essa é nossa primeira iniciativa orientada para o interior do estado após o início desta nova Legislatura. Não vamos sossegar enquanto esta obra não for iniciada”, destaca Danilo Cabral.



Foto:  Sérgio Francês
Últimas Postagens

Facebook

Visualizações de página