Paulo Câmara e Luciana Santos tomam posse em cerimônia na Assembleia Legislativa

terça-feira, 1 de janeiro de 2019


A Assembleia Legislativa deu posse ao governador reeleito de Pernambuco, Paulo Câmara, e à vice-governadora, Luciana Santos, em solenidade realizada nesta terça (1º), no Plenário do Edifício Miguel Arraes de Alencar. Foi a primeira vez que a nova sede do Poder Legislativo Estadual, inaugurada em 2017, recebeu a cerimônia que marca o início de um novo mandato no Governo do Estado.

Governador e vice foram conduzidos à mesa dos trabalhos pelos líderes do Governo e da Oposição na Casa, deputados Isaltino Nascimento (PSB) e Sílvio Costa Filho (PRB), respectivamente. Após a execução do Hino Nacional pela Banda de Música do Corpo de Bombeiros Militar de Pernambuco, o presidente da Alepe, deputado Eriberto Medeiros (PP), recebeu as declarações públicas de bens dos empossados e proferiu discurso.
Ao usar a palavra, o parlamentar ressaltou a importância da convivência harmônica e republicana entre as instituições e os poderes estaduais. “O processo político-legislativo exige tanto do Executivo quanto do Legislativo equilíbrio, respeito e convergência de interesses que podem ser resumidos em um só: lutar pelo bem do povo Pernambucano”, declarou. “A Casa de Todos os Pernambucanos está sempre aberta para se constituir como o principal canal de diálogo entre a sociedade e os gestores públicos.”

Na sequência, Câmara e Santos prestaram os termos do compromisso constitucional perante a Mesa Diretora da Alepe, conforme determina o art. 236 da Carta Magna pernambucana. Pelo texto, os eleitos prometem “manter, defender e cumprir a Constituição da República Federativa do Brasil e a deste Estado, respeitar as leis, promover o bem coletivo e exercer o cargo sob a inspiração das tradições de lealdade, bravura e patriotismo do povo pernambucano.”

Ao tomar posse para o segundo mandato, Paulo Câmara anunciou um governo “orientado pelo compromisso maior das forças progressistas do nosso Estado”. Ele defendeu o legado dos últimos quatro anos nas áreas de educação, gestão pública e combate à violência. Também observou que futuras medidas para aperfeiçoar serviços públicos dependerão do contexto econômico, social e político nacional.

“As próximas administrações estaduais tomam posse após uma das campanhas mais radicalizadas da história do Brasil. É urgente desmontar os palanques, desarmar os espíritos e buscar o mínimo de convergências que nos permitam preservar as conquistas democráticas e avançar”, avaliou o governador.

Por outro lado, Câmara salientou que “a submissão é incompatível com o espírito libertário dos pernambucanos”. “Apoiaremos decisões que beneficiem Pernambuco e o Nordeste, como a conclusão das obras da Transposição do Rio São Francisco e da Ferrovia Transnordestina, mas seremos contra iniciativas que comprometam o futuro do Estado e da região, como a privatização da Chesf”, exemplificou.
Últimas Postagens

Facebook

Visualizações de página