27ª Rodada de Negócios da Moda Pernambucana amplia oportunidades para confeccionistas e fornecedores de produtos têxteis da região

quarta-feira, 23 de janeiro de 2019


As perspectivas para a indústria têxtil e de confecção em 2019, um dos setores produtivos mais afetados pela crise dos últimos anos, fazem com que a cadeia retome o fôlego para novos negócios. Os números são otimistas. A expectativa de crescimento no geral é de 3% e para o faturamento é de 7%, de acordo com a Associação Brasileira da Indústria Têxtil e de Confecção (Abit). Para confeccionistas de Pernambuco, Paraíba, Goiás, Ceará e de Santa Catarina, a retomada começa com a 27ª edição da Rodada de Negócios da Moda Pernambucana (RNMP).

Até o momento, a Associação Comercial e Empresarial de Caruaru (Acic), realizadora da iniciativa, contabiliza para a próxima edição: 120 estandes tradicionais; 12 na ala Pernambuco que Cresce, voltada para micro e pequenas empresas; e 8 no espaço InoveTex, para fornecedores de produtos e serviços nas áreas têxtil, financeira, logística e de tecnologia. Além da Alameda da Moda, ambiente aberto ao público em geral que proporciona uma imersão na moda e na cultura da região, especialmente, no que se refere a Caruaru, com uma programação que contempla processos criativos e soluções tecnológicas para o setor. A 27ª RNMP apresentará para lojistas de todo o Brasil as tendências para a temporada outono/inverno nos segmentos surfwear, streetwear, praia, fitness, moda íntima, bebê, infantil, jeans, modas feminina e masculina, além de calçados e acessórios.

“A expectativa é muito positiva, não apenas pelo resultado registrado no final de 2018 nas vendas no varejo, mas, também, pela expectativa do próprio setor de avanço já no primeiro trimestre do ano. Este cenário nos dá um prognóstico favorável de, pelo menos, 10% de crescimento. Estamos na 27ª edição de um evento consolidado e que faz parte do calendário nacional de moda e do calendário brasileiro de Exposições e Feiras, que é divulgado internacionalmente pelo Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC) e pelo Ministério das Relações Exteriores (MRE). Além disso, é um dos maiores eventos do setor no Norte/Nordeste”, ressalta o coordenador do evento, Wamberto Barbosa.

Ao longo de 13 anos, os números da Rodada confirmam os melhores resultados entre fabricantes de roupas, calçados e acessórios e lojistas de todas as regiões do país. Foram gerados mais de R$ 350 milhões em negócios durante o evento, mais de 22 milhões de peças foram comercializadas e 85 mil pedidos foram registrados. 10 mil lançamentos são apresentados para 600 compradores com potencial de compra pré-analisados pela Acic a cada edição, que cresce, em média, 10% em faturamento. Porém, os números expressivos não devem ser confundidos com os resultados de uma iniciativa voltada apenas para grandes marcas. Todos os anos, a Acic tem investido em atender as necessidades de micro e pequenas empresas. Um exemplo disso foi a criação da ala Pernambuco que Cresce. O projeto tem possibilitado aos empreendimentos de menor porte acesso ao mercado nacional de forma organizada.

“Apesar dos grandes números, é preciso destacar que é um projeto feito também para pequenos empresários. A força da Rodada de Negócios é a união dessas empresas que já despertaram para o interesse de conquistar novos mercados. Não tem oportunidade melhor para quem comercializa na região e quer se tornar mais competitivo, pois aqui mesmo, em Caruaru, o confeccionista tem contato com o varejo do Brasil todo”, explica Wamberto Barbosa.

A Rodada de Negócios da Moda Pernambucana reposicionou a imagem do Polo de Confecções do Agreste. O evento é uma vitrine do trabalho contínuo de desenvolvimento e de qualificação das gestões e dos produtos das marcas que fazem parte do segundo maior polo têxtil do Brasil. “A RNMP é a materialização do que a união do setor consegue fazer na prática. O confeccionista sozinho, em nível nacional, talvez não consiga fazer muito. No entanto, quando você junta dezenas de profissionais, a realidade é transformada pelo associativismo. É um case de sucesso para a indústria brasileira e tem sido um evento reconhecido, inclusive, por outras entidades. Nos últimos anos, recebemos delegações para conhecer o evento e replicar o formato nas suas regiões no mesmo segmento ou em segmentos diferentes. É um mecanismo real e concreto de se fomentar um segmento”, enfatiza o presidente da Acic, Luverson Ferreira.

A RNMP tem como correalizador o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae) e conta com o apoio da Prefeitura de Caruaru. O Núcleo Gestor da Cadeia Têxtil e de Confecções de Pernambuco (NTCPE), o Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial (Senac), a Associação Comercial e Industrial de Toritama (Acit), a Associação Empresarial de Santa Cruz do Capibaribe (Ascap) e o Sindicado das Indústrias do Vestuário do Estado de Pernambuco (Sindivest/PE) são parceiros da iniciativa.
Últimas Postagens

Facebook

Visualizações de página