Secretaria de Agricultura participa de encontro do Fórum Permanente de Convivência Produtiva com as Secas na 26ª edição do Agrinordeste

quinta-feira, 11 de outubro de 2018


Realizado frequentemente pelo SEBRAE e pela FAEPE, o Fórum Permanente de Convivência Produtiva com as Secas aconteceu em um novo espaço, excepcionalmente neste mês de outubro. O seminário que teve como tema “Alternativas para produção de forragem nas regiões semiáridas de Pernambuco e África do Sul”, aconteceu no Centro de Convenções de Pernambuco, durante o segundo dia da 26ª edição da Agrinordeste. O professor Herman Fouché, da Agricultural Research Council - ARC, da África do Sul, apresentou pesquisa sobre a produção de forragem animal em situações de seca. O secretário de agricultura do estado, Wellington Batista, participou do encontro.

 A África do Sul e o estado de Pernambuco compartilham recursos agrícolas e limitações climatológicas, onde 65% da República da África do Sul é árida ou semiárida e 85% da área são pastos naturais. Além disso, as duas localidades são suscetíveis a secas regulares, resultando em perdas de renda e capital, fazendo com que os agricultores devam aprender a se adequar a situação. “A variação do clima, ciclos secos, e úmidos requer decisões táticas oportunas para limitar o efeito das mesmas. Nos extremos, secas ou inundações, o gerenciamento de crises deve ser feito rapidamente. Estas diferentes práticas de gestão devem ser conhecidas por todos os agricultores e os detalhes devem ser adaptados às suas circunstâncias específicas”, explicou o professor Fouché.

 Desta maneira, a pesquisa da Agricultural Research Council identificou as culturas resistentes à seca e a produção animal sustentável, produzindo forragem mais barata, para atender as demandas dos agricultores (sistema natural de gestão de pastagens – caatinga, pastos plantados e feno, e cultivo de espécies resistentes à seca).  Desta maneira a pesquisa levou em consideração o uso da palma forrageira, no Brasil, e passaram a produzir a variedade sem espinho, acompanharam as tecnologias, como o plantio adensado, e o pastoreio de bovinos por meio do sistema de pastoreio rotativo.  

 O evento é uma oportunidade para que pesquisadores e representantes dos mais diversos setores e órgãos possam apresentar e debater modelos de gestão e medidas de minimização aos efeitos da seca, que por quase sete anos vem afetando produtores no Estado, garantindo uma cooperação técnica, melhor planejamento e uso de novas tecnologias. “O governo do Estado está trabalhando fortemente para garantir as famílias rurais o acesso a água, com a implantação de mais de 30 mil cisternas, cerca de 300 barragens, além da perfuração de poços e disponibilização de Sistemas de Abastecimento”, expressou o secretário Wellington Batista.   

 Além da participação da SARA, estiveram presentes representantes do IPA. UFS, SEBRAE, FAEB, FAGSG, FAEC, UFA, INSA, CNA, MAPA, UFRPE, APAC, FAEAL, FAEPE, APROLEITE, FAERN, BB, FECOMERCIO, AFCPE, OPE, SINDLEITE e SENAR.
Últimas Postagens

Visualizações de página

Facebook