Governadores do Nordeste discutem nesta terça soluções para segurança pública

terça-feira, 6 de março de 2018


Governadores de todo Nordeste se reúnem nesta terça-feira (06), a partir das 8h, no Espaço Coco Bambu, em Teresina (PI). O encontro, que acontece anualmente, tem, dessa vez, o objetivo de discutir a implantação de uma operação nacional de segurança que reúna todas as forças policiais, equipamentos e infraestrutura para o combate à criminalidade nos estados. Os governadores também tratarão sobre a criação de um fundo nacional que, somado aos recursos do Tesouro Estadual e da União, possa ser destinado às ações da segurança pública, problema enfrentado pelos gestores em todo país.

O encontro será precedido de uma reunião técnica que acontece nesta segunda-feira (05) entre os secretários de Segurança dos estados. Os gestores vão avaliar a proposta apresentada pelo presidente Michel Temer de abertura de uma linha de financiamento de R$ 42 bilhões - a maior parte oferecida pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico (BNDES) - para investimentos em segurança pública, como reequipamento das polícias estaduais. É a partir dessa análise técnica que os governadores dirão se aceitam ou não o que foi apresentado pelo governo federal. 

Após o encontro com Temer, os governadores do Nordeste entenderam a necessidade de organizar uma reunião específica da região para que possam discutir o tema e fazer uma interlocução articulada e organizada com o governo federal.

"Depois disso, teremos caminho a seguir. O que sinto é que os governadores acharam insuficientes as ações sugeridas pelo governo federal", afirma o governador Renan Filho (MDB), que estará presente ao debate com os demais governadores do Nordeste.

O governador de Alagoas não participou do encontro com Temer, no Palácio do Planalto, em Brasília, na último quinta-feira (1), mas está seguro que é importante analisar criteriosamente o que foi proposto. Renan Filho é taxativo ao dizer que a proposta é insuficiente. Quando indagado se atendeu a expectativa, ele afirma: "Não, foi aquém do que esperávamos e abaixo da necessidade. O momento é delicado e a segurança precisa ser olhada como prioridade, como fazemos aqui. Infelizmente, o governo federal tem feito muito pouco e o anunciado hoje [na quinta] é  mais do mesmo".

Disse ainda que a ajuda anunciada por Temer será avalia. "Nós vamos avaliar as condições antes da decisão. Novos recursos são importantes, mas é importante também pensar em colaborar com o custeio das forças policiais dos Estados", destacou o governador, ao dizer que é preciso olhar também para o sistema penitenciário. 

"Temos que ter novas vagas no sistema prisional, mas precisamos de colaborações no financiamento, dado que o funcionamento é dispendioso e os Estados financiam sozinhos", ressaltou.

Já o governador do Piauí, Wellington Dias (PT), compreender que "é importante que o Congresso Nacional aprove uma nova fonte de recursos para o financiamento da segurança pública, como a criação de um fundo nacional semelhante ao Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb)".

A proposta foi apresentada por Temer em reunião no Palácio do Planalto convocada com o objetivo de discutir soluções para a crise de segurança pública. Do encontro, no Palácio do Planalto, participaram, além de governadores, os presidentes da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), do Senado, Eunício Oliveira (MDB-CE), e do Supremo Tribunal Federal (STF), ministra Cármen Lúcia. 

Últimas Postagens

Facebook

Visualizações de página