Humberto prega desobediência civil em defesa de Lula

segunda-feira, 29 de janeiro de 2018


Reunido com Lula novamente nesta quinta-feira (25), em São Paulo, o líder da Oposição no Senado, Humberto Costa (PT-PE), declarou que a única maneira, agora, de “impedir um futuro funesto para o Brasil e barrar esse golpe de Estado – iniciado com a derrubada de Dilma e continuado com a tentativa de tirar Lula da disputa eleitoral – é o povo ir às ruas e insistir na candidatura do ex-presidente”.

Para Humberto, que afirmou que estará com Lula até o último momento, a militância terá de ter forte poder de mobilização para reagir ao estado de afronta à Constituição que vive o país. O senador considerou injusta e parcial a decisão tomada ontem pela 8ª Turma do Tribunal Regional Eleitoral da 4ª Região (TRF-4).

“Nós temos de juntar mais gente do nosso lado e partir para uma desobediência civil, sob pena de, se não fizermos isso, estarmos comprometendo todos nós e as futuras gerações do Brasil”, afirmou. Lula acompanhou o discurso de Humberto de pé, próximo a ele, e o abraçou no fim da fala.

O senador ressaltou que a desobediência civil é um instituto lícito e pacífico, que foi utilizado, inclusive, por vários líderes mundiais, como o líder indiano Mahatma Gandhi, referência de paz no globo terrestre.

O parlamentar perguntou aos presentes no ato em defesa de Lula se é justo que três cidadãos tenham o direito, ao desrespeitar a Carta Magna, de caçar o voto de milhões de brasileiros. “Aparentemente, estavam julgando os fatos. Mas era uma farsa. Não existem provas de qualquer crime cometido. Até o presente momento, nenhum deles conseguiu mostrar o que foi dado em troca do suposto benefício concedido a Lula. E, se não há crime, não há criminoso”, disparou.

O líder da Oposição também questionou o comportamento da elite brasileira, que, segundo ele, não tem qualquer apego à democracia e quer ser sócia minoritária do capital internacional. A avaliação do senador é de que essa elite não tem coragem para os nomes que dispõem para disputar nas urnas com Lula.

“Por isso jogam sempre como se fossem o menino dono da bola: se não ganham, dizem que não vai ter jogo e levam a bola para casa. É lamentável”, detonou.

No fim do discurso, olhando para Lula, Humberto disse que estará com ele até o último momento e a última hora para, assim, ajudá-lo a voltar ao comando do país em 2018 a fim de dar continuidade ao que fez pela cidadania, liberdade e direitos do povo brasileiro.
Últimas Postagens

Visualizações de página

Facebook