Com apoio de socialistas, “Carta da Diversidade” é levada ao Congresso em mobilização por direitos LGBTIs

domingo, 8 de outubro de 2017


O segmento LGBT Socialista integrou uma comitiva formada por representantes da Aliança Nacional LGBTI e de outros 14 partidos políticos para reivindicar a tramitação de projetos de lei que garantem direitos a gays, lésbicas, bissexuais, transgêneros e intersexuais.Eles entregaram aos presidentes do Senado e da Câmara, Eunício Oliveira e Rodrigo Maia, respectivamente, a Carta da Diversidade, documento que lista dez propostas que são consideradas prioritárias para a população LGBTI.Entre elas está a que reconhece todas estruturas familiares existentes no país, por meio do Estatuto das Famílias, de autoria da senadora Lídice da Mata (PSB-BA), líder da bancada socialista.O segmento LGBT do PSB foi representado  pelo secretário do movimento em Alagoas, Douglas Alves. Também acompanharam a comitiva a senadora Lídice e os deputados federais Bebeto Galvão (BA) e Janete Capiberibe (AP).

Alves informou que carta será apresentada a todos os parlamentares no Congresso e também a representantes do Judiciário. Ele destacou ainda a necessidade de urgência na aprovação do projeto de lei que institui o Estatuto das Famílias.“A nossa meta é fazer com que a proposta do estatuto seja aprovada o mais rápido possível, para se reconhecer de fato as demais famílias do país. Vamos fazer crescer esse estatuto para torná-lo cada vez mais conhecido”, destacou o socialista.Ele falou em nome do secretário nacional da LGBT Socialista, Otávio Oliveira, que foi submetido recentemente a uma cirurgia.A senadora Lídice da Mata defendeu o respeito à diversidade e o combate a todos as formas de discriminação no país.

“A luta do PSB é em defesa da democracia e da diversidade no nosso país. A diversidade cultural, a diversidade de gênero, a diversidade de raças, de religião, de tudo aquilo que seja combater a discriminação e o preconceito”, afirmou Lídice da Mata (PSB-BA).“Essa é uma plataforma que tem a ver com a dignidade humana. Os atos ilícitos de ódio contra a população LGBT devem ser criminalizados”, defendeu o deputado Bebeto Galvão (PSB-BA). “Estamos nessa luta contra toda a forma de intolerância na nossa população”, disse a deputada federal Janete Capiberibe (PSB-AP).

Assinada pela Aliança Nacional LGBTI, a Carta da Diversidade tem o apoio de 15 partidos políticos, de agências das Nações Unidas, do Conselho Federal da Ordem dos Advogados do Brasil e de outras entidades de defesa de direitos de LGBTIs.
Últimas Postagens

Visualizações de página

Facebook