Quadrilha liderada por irmãos matou ao menos seis pessoas na guerra do tráfico, diz polícia de PE

sexta-feira, 5 de maio de 2017


Pelo menos seis pessoas foram assassinadas e outras duas seriam mortas pela quadrilha desarticulada nesta sexta-feira (5), na 'Operação Chacal', da Polícia Civil. A Justiça expediu 10 mandados de prisão preventiva e os agentes cumpriram nove deles. Um homem continua foragido. Segundo a polícia, dois irmãos que foram detidos são apontados como líderes da associação criminosa.

Os alvos da ação são suspeitos de praticar homicídios, tráfico de drogas e roubos na Zona Oeste do Recife, especialmente no bairro da Várzea e arredores. Segundo o chefe da Polícia Civil, Joselito Amaral, os assassinatos ocorriam especialmente por causa da disputa territorial do tráfico de drogas.

"Seis homicídios são diretamente ligados a estes suspeitos, mas, com os depoimentos e possíveis denúncias da população, acreditamos que outros casos possam vir à tona. Outras duas pessoas também seriam mortas pelo grupo, nos próximos dias, também pela disputa do tráfico", disse. Os suspeitos foram presos em bairros da Zona Oeste, como Iputinga e Várzea, e no município de Camaragibe, no Grande Recife.

A ’Operação Chacal’ é a 13ª ação de repressão qualificada deflagrada pela polícia em 2017. Os mandados foram expedidos pela 3ª Vara de Entorpecentes do Recife. Participam da operação 60 policiais civis, entre delegados, agentes e escrivães.

A operação foi supervisionada pela Chefia da Polícia Civil e coordenada pela Diretoria Integrada do Metropolitana (DIM). Também atua a 3ª Delegacia Seccional do Recife, em Boa Viagem, na Zona Sul do Recife.

Os alvos presos e todo material apreendido foram encaminhados ao Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), no bairro do Cordeiro, na Zona Oeste do Recife. Ainda segundo Joselito Amaral, a corporação ainda está nas ruas, realizando diligências para tentar prender o suspeito foragido e cumprindo os mandados de busca e apreensão.

A ação, de acordo com a Polícia Civil, foi batizada de chacal em alusão ao animal. A corporação explicou que nesse caso a quadrilha atuava caçando as vítimas, uma das características do mamífero.

Fonte;G1
Últimas Postagens

Facebook

Visualizações de página