Estudo busca vestígios de fortificação

terça-feira, 4 de abril de 2017



Um estudo topográfico no patrimônio arqueológico da Vila de Nazaré, localizado no Parque Armando Holanda, no Cabo de Santo Agostinho, tenta encontrar vestígios do Forte Nossa Senhora de Nazaré, construção que teria sido erguida no fim do século 16, no alto de um morro. As escavações podem escrever uma nova página da história do Brasil. Existe uma certa confusão na historiografia sobre as fortificações denominadas “de Nazaré”, dentro do contexto da Guerra Holandesa (1630-54). Especialistas acreditam, porém, que a Capela Mor da Igreja da vila corresponda ao corpo central do forte.

O estudo faz parte de um processo que tem como meta definir o traçado de um sistema de esgotamento sanitário e de abastecimento de água a ser implantado na área. As obras só serão iniciadas depois de aprovadas pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan). Segundo a coordenadora do projeto arqueológico, Vera Menelau, o trabalho tenta evitar que relíquias se percam no processo de urbanização. “A nossa meta é evitar que sejam perdidos objetos históricos com a urbanização do local”, disse ela.

A leitura topográfica alcança uma área de 870 metros de extensão, no acesso principal da comunidade. Estão sendo feitas estratificações de 10 em 10 metros, formando trincheiras com 1 metro de profundidade. O prazo de conclusão dos trabalhos é de 90 dias.

O forte teria sido um ponto estratégico de desembarque de reforços e suprimentos portugueses e espanhóis. Os indícios encontrados são considerados promissores.  “Moradores contaram ter achado duas munições de canhão no quintal de suas casas”, disse o coordenador de campo do projeto, Marcelo Hermínio. Cartilhas com orientações sobre o patrimônio cultural estão sendo distribuídas nas casas e escolas da comunidade.
Últimas Postagens

Facebook

Visualizações de página