Ações do Governo apresentadas em seminário no Agreste geram divergências

terça-feira, 11 de abril de 2017


Parlamentares de Oposição voltaram a assinalar falhas do Governo do Estado na Reunião Plenária desta segunda (10). O líder da Bancada, Sílvio Costa Filho (PRB), e o deputado Edilson Silva (PSOL) direcionaram queixas à gestão estadual e repercutiram a realização do seminário “Pernambuco em Ação”, em Santa Cruz do Capibaribe, no Agreste, no último sábado (8). O encontro contou com a presença do governador Paulo Câmara. Para o líder do Governo, Isaltino Nascimento (PSB), as críticas são “infundadas”.

Costa Filho foi à tribuna anunciar agenda da Oposição no Agreste para a próxima quarta (12), como reação ao seminário organizado pelo Poder Executivo. Na ocasião, disse, os parlamentares deverão apresentar “o conjunto de obras paralisadas na região” e “o Pernambuco de Verdade”.

O deputado também repercutiu dados de relatório divulgado na última semana, produzido pela Federação das Indústrias do Rio de Janeiro (Firjan), que mostram aspectos negativos sobre as contas públicas de Pernambuco. De acordo com o líder oposicionista, o estudo identifica níveis elevados de despesa com pessoal e com aposentadorias, ao mesmo tempo em que aponta reduzido grau de investimento em comparação com outros Estados do Nordeste. “É uma realidade completamente diferente daquela que mostra a Bancada Governista”, disparou.

Edilson Silva acompanhou as preocupações do líder oposicionista e defendeu que o Legislativo se contraponha ao que o Governo tem afirmado sobre as finanças estaduais. “Pagar salários em dia não é suficiente”, avaliou. “Precisamos olhar ao nosso redor e perceber o sofrimento da população em áreas vitais como a segurança pública e a saúde”, alertou.

Parlamentares do Governo contestaram as informações. Na tribuna, Isaltino Nascimento argumentou que o estudo citado por Costa Filho “não tem base conceitual e está cheio de inconsistências”. “Esse relatório coloca Sergipe e Rio Grande do Norte acima de Pernambuco no quesito saúde fiscal, mas estamos em abril e esses Estados sequer pagaram o 13º salário dos funcionários de 2016”, exemplificou o líder do Governo.
Waldemar Borges (PSB), em aparte a Nascimento, afirmou que a Oposição revela “indisfarçável frustração” ao fazer críticas baseadas no documento “ tendencioso” produzido pela Firjan. “O Governo não tem nenhuma dificuldade em reconhecer que o cenário é difícil”, disse. “Apesar disso, todos os marcadores econômicos de instituições com credibilidade revelam que nossa situação fiscal é sadia”, asseverou Borges.

“Repúdio” – A discussão sobre o seminário Pernambuco em Ação também motivou denúncia de Edilson Silva sobre possíveis excessos cometidos durante a passagem do governador Paulo Câmara por Santa Cruz do Capibaribe. O psolista registrou “repúdio” à ação de homens – identificados pelo parlamentar como servidores da Casa Militar de Pernambuco – filmados destruindo cartazes em uma rua da cidade. Segundo Silva, o material continha críticas ao chefe do Executivo.

O parlamentar anunciou que vai protocolar representação junto ao Ministério Público de Pernambuco para apurar os fatos. “Em Pernambuco, existe uma polícia política para calar a oposição”, alertou, mencionando ação policial contra troça carnavalesca de inspiração política durante o Carnaval. “Se o Governo quer fazer um evento para dialogar com a população, tem de ser feito com humildade para ouvir as críticas e não implantando um clima de intimidação”, afirmou.

Últimas Postagens

Facebook

Visualizações de página