Teresa Leitão denuncia fornecimento de medicamentos vencidos para paciente soropositivo

quarta-feira, 8 de março de 2017


Uma denúncia sobre o fornecimento de medicamentos vencidos para tratamento de um paciente soropositivo, pelo serviço público de saúde de Pernambuco, foi alvo do pronunciamento da deputada Teresa Leitão (PT), na Reunião Plenária desta terça (7). A parlamentar – que em 2015 presidiu a Comissão Especial de Combate ao HIV/Aids, Tuberculose e Hepatites – criticou o ocorrido e pediu que o Governo do Estado esclareça o fato.
Segundo a petista, o paciente também é membro da ONG Gestos, que atua em defesa dos direitos humanos das pessoas soropositivas, e lhe apresentou duas caixas de medicamentos vencidos que ele teria recebido, em março, no Imip. “O vírus HIV é um dos mais estudados pela medicina e, por isso, é de conhecimento geral que o tratamento permanente e ininterrupto é necessário não apenas para evitar a sua expansão, mas, também, para atacar o surgimento de doenças oportunistas. Esse fato é surreal e precisa ser investigado”, avaliou.
A parlamentar informou que a dificuldade em se conseguir medicamentos para tratamento da Aids no Estado já havia sido identificada pela comissão especial, que verificou, também, o número insuficiente de médicos especialistas para atender os pacientes, carência de leitos e de assistência social adequada, bem como necessidade de humanização do atendimento e de investimentos em campanhas educativas.
Em apartes, os deputados Terezinha Nunes (PSDB), Sílvio Costa Filho (PRB) e Álvaro Porto (PSD) lamentaram o fato. “Isso é um desrespeito com o paciente. O Imip precisa ter uma fiscalização própria para impedir que isso ocorra”, disse a tucana. “É estarrecedor como Pernambuco não tem um sistema de controle dos serviços prestados à população”, disse Costa Filho. “Infelizmente, esta é a realidade do nosso Estado”, complementou Porto.
Em resposta, o líder do Governo, deputado Isaltino Nascimento (PSB), leu uma nota encaminhada pela Secretaria Estadual de Saúde. O documento informa que a pasta “não autoriza ou recomenda aos serviços farmacêuticos a dispensação de medicamentos vencidos, que os antirretrovirais são de responsabilidade do Ministério da Saúde e que a secretaria vem dialogando com o órgão para regularizar a situação”. Por fim, Nascimento corroborou o pedido de Teresa Leitão para que o Estado abra um procedimento administrativo para verificar a questão.

Últimas Postagens

Visualizações de página

Facebook