PSB ameaça votar contra reforma da Previdência

quinta-feira, 9 de março de 2017



O PSB, sexto maior partido da base de Michel Temer, com 35 deputados, ameaça fechar posição contrária aos pilares da reforma da Previdência. Se confirmado, será o segundo partido da base a declarar a dissidência. O Solidariedade, do deputado e sindicalista Paulinho da Força, já faz isso há algum tempo.

O PSB comanda o Ministério de Minas e Energia. "Um partido socialista não pode se dar ao luxo de trair as pessoas que ele pretende representar", diz o presidente do PSB, Carlos Siqueira.
"Se um partido socialista não defender os interesses das pessoas mais vulneráveis, o que ele está fazendo no cenário político nacional?" Para ele, a proposta de Temer tem forte caráter mercadológico. "Nosso problema não é governo, nem cargo, o nosso problema é não trair os nossos ideais", diz Siqueira. Ele critica especialmente regras mais rígidas para trabalhadores rurais, deficientes e pessoas mais miseráveis.

O secretário­ geral do partido, o ex ­governador Renato Casa grande (ES), vai na mesma linha. "A proposta pune muito o trabalhador. Não estamos preocupados com governo, mas com nossa história." O PSB realizará debate nesta quinta (9) e uma consulta aos filiados, via internet, na terça. Depois, reúne a Executiva para definir uma posição.

RENAN
No Senado, um dos primeiros aliados a se manifestar contra a reforma foi Renan Calheiros (AL), líder do PMDB, partido de Temer. "Essa proposta que foi mandada para o Congresso parece bastante exagerada. Mas o Congresso, não tenha nenhuma dúvida, vai fazer a sua parte", disse Renan em um vídeo que publicou nas redes sociais. Nesta quarta ­feira (8), voltou à carga: "Aposentar aos 69 no Nordeste? Isso é demonstração do desconhecimento da realidade". O líder do DEM na Casa, senador Ronaldo Caiado (GO), também criticou a reforma.

Últimas Postagens

Facebook

Visualizações de página