Polícia procura mais cinco suspeitos de torturar e filmar agressão à adolescente no Recife

quinta-feira, 23 de março de 2017



Polícia Civil já identificou cinco dos seis suspeitos de torturar uma adolescente de 17 anos no bairro de Santo Amaro, no centro do Recife, e divulgar o vídeo com a agressão nas redes sociais. De acordo com o delegado Diego Acioli, responsável pelas investigações, há menores de idade entre os agressores. As informações foram divulgadas em coletiva nesta quarta (23).

Um dos agressores, de 22 anos, foi preso na noite de quarta-feira (22), em Olinda, na casa da mãe. Ele é o homem que aparece cortando o cabelo da adolescente no vídeo divulgado na internet. A polícia segue fazendo buscas para prender os outros quatro identificados.

Segundo o delegado Diego Acioli, do Departamento de Homicídios e Proteção a Pessoa (DHPP), o homem confessou estar no vídeo, mas negou que o motivo das agressões teria a ver com a rivalidade de gangues no bairro.

"Ele disse que tinha um relacionamento amoroso com a vítima e chegou na comunidade com uma tesoura, para cortar o cabelo da adolescente. Pessoas supostamente desconhecidas por ele teriam o ajudado na agressão. Pelo depoimento da vítima, essa hipótese está descartada", disse o delegado.
O caso ocorreu na segunda-feira (20) e, na quarta-feira, a jovem recebeu alta do Hospital da Restauração, na área central da capital, e foi encaminhada a um centro de apoio do Programa de Proteção a Vítimas e Testemunhas Ameaçadas. A polícia está nas ruas buscando os outros agressores. Um dos suspeitos ainda não foi identificado.

Jovem espancada no Recife tem alta hospitalar e está sob proteção judicial
"O caso está sendo tratado como tortura e não tentativa de homicídio, porque no próprio vídeo eles determinam que a jovem, que havia se mudado para a comunidade Ilha do Joaneiro, volte para o Campo do Onze. Estamos trabalhando com a hipótese de que eles pensavam que a jovem passaria informações sobre o tráfico de drogas no local, baseado no fato de que há gangues rivais", disse Diego Acioli.

Segundo o delegado Erivaldo Guerra, titular da Boa Vista, a polícia recebeu informações sobre o paradeiro do suspeito e passou a procurá-lo em locais frequentados regularmente por ele. "Ele havia cumprido dois anos e nove meses de prisão preventiva por um homicídio em Olinda, mas foi solto por causa da demora no inquérito. Após a audiência de custódia, o juiz vai avaliar se ele permanece preso, mas o alvará de soltura deve ser revogado, já que ele estava praticando crimes", explicou Erivaldo.

O homem já preso responderá pelos crimes de tortura, associação criminosa e corrupção de menores.

Jovem é vítima de agressão e vídeo com a violêcia é compartilhado
Nas imagens, divulgadas nas redes sociais e que chegou no WhatsApp da TV Globo, é possível ver dois homens mascarados e dois sem máscara. O vídeo, que tem imagens fortes, inicia com ela sentada em cima de uma poça, que parece sangue, no chão. Nesse momento, dois homens pedem que ela estenda as mãos para esmagá-las com pedaços de madeira.

Em seguida, um dos suspeitos, sem máscara, tira a blusa e o short da jovem. Um dos homens chega a perguntar para quem está filmando: “filmou o rosto dele não, né comparsa? ”. O que está filmando nega. “Pegou um pouquinho de lado só”, responde.

Por fim, mandam a vítima levantar e correr. Cambaleando e nua, ela corre um pouco desnorteada e gritando de dor. Eles a seguem desferindo golpes com pedaços de madeira. Em certo momento, um deles a chuta. Ela cai e outro a golpeia no rosto. “Ai? Não diz ai”, fala para vítima. O mesmo que a chutou levanta a jovem pelos cabelos. O vídeo termina com ela correndo em uma avenida, entre os carros.

Fonte;G1
Últimas Postagens

Facebook

Visualizações de página