Pernambuco tem 69 municípios em risco de surto de doenças transmitidas pelo Aedes aegypti

quinta-feira, 16 de março de 2017


Apos a drástica diminuição nos casos de arboviroses registrada durante janeiro deste ano, que provocou suspeita de subnotificação por causa da mudança nas gestões municipais, o Levantamento de Índice Rápido do Aedes aegypti divulgado pela Secretaria de Saúde mostra que ao menos 69 dos 184 municípios de Pernambuco estão em risco de surto.
O índice de infestação predial aponta para alerta em outras 63 cidades, segundo o boletim epidimiológico que inclui dados de 1º de janeiro a 11 de março deste ano. Nesse período, foram 2.502 notificações de dengue, zika e chikungunya.

Segundo a secretaria, houve diminuição de 98% no número de casos de arboviroses no estado, em comparação com os números de 2016. No mesmo período, foram registrados 128.886 casos suspeitos das três doenças, com 41.287 confirmações. Os casos foram registrados em 102 dos 184 municípios de Pernambuco.
Apenas de dengue, foram notificados 1.802 casos. Destes, 392 foram confirmados e outros 309 foram descartados. Nas ocorrências de chikungunya, a diminuição foi de 37.252 para 606 notificações, e de 16.762 para 123 confirmações, com 115 descartes, neste ano. Do vítus da zika, a baixa foi de 7.948 para 94, com, até o momento, nenhuma confirmação, e 22 descartes. No ano passado, foram 129 confirmações.

Houve uma diminuição drástica nos números de mortes por suspeita de arboviroses em Pernambuco, entre 1º de janeiro e 11 de março. Até o momento, foram notificados oito casos, 95% a menos que no mesmo período de 2016, quando houve 163 mortes suspeitas em todo o estado. Até o momento, não houve confirmações ou descartes dos óbitos em 2017. No ano passado, foram 89 resultados laboratoriais positivos, sendo 29 para dengue, 31 para chikungunya e 27 para dengue e chikungunya ao mesmo tempo, um para zika e outro para o conjunto de zika e chikungunya.
Últimas Postagens

Visualizações de página

Facebook