Após debate, PSB abre consulta na internet sobre reforma da Previdência

quinta-feira, 16 de março de 2017


Por mais de duas horas, a reforma da previdência proposta pelo governo de Michel Temer e suas implicações na vida de milhões de brasileiros foram objeto de análise e debate entre dois especialistas no tema, durante um debate online promovido pelo PSB na noite desta segunda-feira (13).

Com o objetivo de aprofundar o debate sobre a reforma, o evento contou com a participação de internautas de todo o país e foi conduzido pelo presidente nacional do partido, Carlos Siqueira. A partir desta terça-feira (14), os filiados (recadastrados) serão convidados a opinar sobre o assunto em uma consulta por e-mail. Na quinta-feira, será aberta a participação livre de internautas, pelas redes sociais do partido.

O resultado desse levantamento, somado às opiniões de parlamentares e dirigentes, servirá de subsídio para a decisão final do partido que será tomada pela Executiva Nacional.

O presidente Carlos Siqueira defendeu a importância do Sistema de Seguridade Social, que considera “a principal conquista social” do período recente de democracia no país, apesar da “permanente oposição das forças conservadoras” nesses 30 anos.

Ele destacou o caráter distributivo, solidário e inclusivo do sistema que inclui Saúde, Assistência e Previdência. E disse estar de acordo com a necessidade de aperfeiçoá-lo, considerando a questão demográfica, para garantir a cobertura às próximas gerações.

Entretanto, considera “inaceitável” a intenção de desfigurar o sistema como propõe o atual governo. “Sempre torci para que este governo desse certo, porque quero que o país saia da crise. Mas é inaceitável que se desfigure uma conquista social tão relevante, que criou direitos importantíssimos”, afirmou.

Siqueira relatou, pessoalmente, ao presidente Michel Temer, as limitações dos socialistas em votar a proposta do governo como foi enviada ao Congresso. “Apelo à sensibilidade dele, e o fiz pessoalmente, para que ele possa, como constituinte que inclusive aprovou as medidas de proteção social, não ser o presidente responsável pela sua demolição”, afirmou, reiterando a abertura ao diálogo.

O presidente do PSB disse que a reforma do sistema de previdência já vem ocorrendo, gradativamente, desde os anos de 1990, e que muitas distorções foram eliminadas, principalmente no Regime Geral de Previdência (RGPS), no qual 64% dos beneficiários recebem até um salário mínimo, e a diferença entre o piso e o teto pagos pelo INSS é de menos de seis vezes.


Últimas Postagens

Visualizações de página

Facebook