Marília Arraes pode ser a candidata do PT em 2018

quarta-feira, 4 de janeiro de 2017

Reeleita para o terceiro mandato na Casa José Mariano com uma expressiva votação, a vereadora Marília Arraes obteve um resultado simbólico e talvez seu melhor desempenho desde que estreou nas urnas em 2008, não necessariamente pelos votos já que foi a sexta mais votada, mas por toda a conjuntura envolvendo a sua candidatura, que sem sombra de dúvidas lhe consolidou politicamente.

Marília foi candidata sob a desconfiança de muita gente, porque nas duas vezes que se elegeu contou com a estrutura robusta do PSB, partido do seu avô e do seu primo Eduardo Campos, com quem rompeu em 2014. Além desses fatores, havia a postulação do seu marido, o vereador Felipe Francismar, mas isso não foi óbice para que ela alcançasse mais um mandato na Casa José Mariano.

Com a rejeição ao PT, pessoas consideraram que Marília estava cometendo suicídio político, mas talvez tenha sido neste movimento a chance de se consolidar como uma liderança política no estado. Com o partido bastante enfraquecido no estado, Marília pode ser o nome a ser "sacrificado" para a disputa pelo Palácio do Campo das Princesas, uma vez que ninguém está disposto a formalizar aliança com o Partido dos Trabalhadores e nenhum nome do partido com densidade eleitoral está disposto a entrar na empreitada.

Uma vez candidata a governadora, Marília não só arma um palanque para o partido no estado ajudando a fortalecer as chapas proporcionais, como fará um contraponto simbólico ao PSB e ao governador Paulo Câmara. Caso se confirme a candidatura, ela terá a grande oportunidade da sua vida de se firmar na política ainda que venha a perder a eleição, o que é mais provável, e terá a partir de então a chance de alçar vôos ainda maiores em outras eleições.

Verticalização - O ministro da Educação Mendonça Filho, que apoiou a candidatura do prefeito eleito de Jaboatão dos Guararapes Anderson Ferreira (PR), deverá indicar o secretário de Educação na futura gestão, cujo nome tende a ser o engenheiro José Carlos Campos (DEM), que já foi secretário na cidade por três ocasiões desempenhando muito bem as suas funções.

Comando - Além de indicar José Carlos Campos para a secretaria de Educação de Jaboatão dos Guararapes, o ministro Mendonça Filho deverá entregar a presidência do Democratas no município ao seu aliado político, que é uma figura muito querida em Jaboatão dos Guararapes e só não é vice-prefeito eleito por conta de um equívoco do atual comando da sigla na cidade.

Versão - O deputado estadual Silvio Costa Filho, presidente estadual do PRB, negou que a conversa com o ex-prefeito João Paulo tenha girado em torno da filiação do petista ao PRB. De acordo com o líder da oposição na Alepe, a conversa serviu para fazer um balanço das eleições municipais e analisar a conjuntura. Silvio também afirmou que não crê na saída de João Paulo do PT por toda identificação que ele construiu ao longo dos anos com o partido.

Desconfiança - Pessoas do meio político pernambucano acreditam que Elias Gomes não assumirá a presidência estadual do PSDB. Na ótica de um atento observador da cena política, os tucanos devem seguir sob o comando do deputado estadual Antonio Moraes, que saiu muito mais fortalecido politicamente das urnas que o futuro ex-prefeito de Jaboatão dos Guararapes.
Últimas Postagens

Facebook

Visualizações de página