Cunha diz que decisão do STF é 'política' e vai recorrer de suspensão

quinta-feira, 5 de maio de 2016

No dia em que teve seu mandato de deputado federal suspenso pelo ministro do STF (Supremo Tribunal Federal) Teori Zavascki, o presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), afirmou em pronunciamento à imprensa que vai recorrer da decisão que classificou como "política", fruto de uma perseguição por ter liderado o processo de impeachment da presidente Dilma Rousseff.

Cunha disse contar, inclusive, com o afastamento da petista no Senado na próxima semana -os senadores analisam a continuidade do processo de afastamento dela em 11 de maio no plenário- para ganhar força e voltar a seu posto.

O peemedebista destacou que não pode "deixar de contestar e estranhar" a decisão. Fez uma comparação com a prisão do senador Delcídio do Amaral (ex-PT-MS), em 25 de novembro. 

"Ele foi preso e não teve o mandato cassado". O processo do ex-petista está em fase final e deve ser analisado pelo plenário do Senado semana que vem.

Questionado, Cunha garantiu que, apesar de afastado, não vai renunciar nem da Presidência da Câmara, nem do mandato de deputado.

Últimas Postagens

Facebook

Visualizações de página