Armando diz estar “impressionado com imputações contra Dilma”

domingo, 20 de março de 2016

Ministro do Desenvolvimento disse “ficar impressionado com as imputações que são feitas quando a presidenta não é sequer investigada”; “Não somos uma republiqueta, o processo de impeachment tem que seguir a constituição, mas se o processo tiver caráter apenas político poderá afrontar a ordem legal”, completou; Armando Monteiro Neto também defendeu o ex-presidente Lula ao destacar que ninguém pode ser condenado antes de ser julgado e que “ao mesmo tempo, há um grau de tolerância grande com pessoas que presidem poderes, como Eduardo Cunha, que nesse momento é réu e já está sendo alcançado por uma ação penal”

O ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, Armando Monteiro Neto, defendeu a ida do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva para a Casa Civil e disse “ficar impressionado com as imputações que são feitas quando a presidenta não é sequer investigada”.

“Não somos uma republiqueta, o processo de impeachment tem que seguir a constituição, mas se o processo tiver caráter apenas político poderá afrontar a ordem legal”, disse o ministro em entrevista à Rádio Jornal, nesta sexta-feira (18). Armando também defendeu o ex-presidente Lula ao destacar que ninguém pode ser condenado antes de ser julgado.

“Existem juízos que estão sendo feitos de forma definitiva, quando a condição dele é de investigado, e não de réu. A presunção da inocência é um princípio do estado de direito, portanto as pessoas não podem ser condenadas antes de julgadas. Ao mesmo tempo, há um grau de tolerância grande com pessoas que presidem poderes, como Eduardo Cunha, que nesse momento é réu e já está sendo alcançado por uma ação penal”, pontuou.


Ele também afirmou que “no momento em que há um agravamento da crise política, o fato da presidente querer convidar o ex-presidente Lula não se constitui em nada que possa, a princípio, parecer injustificável. O fato é que a presidente entendeu que com o agravamento da crise ela reforçaria sua posição trazendo um quadro experiente”.


“O fato é que a presidente entendeu que, com o agravamento da crise, ela reforçaria sua posição trazendo um quadro que é reconhecidamente experiente e tem uma grande capacidade de articulação política”, completou.


Fonte :www.lusimarlima.com.br
Últimas Postagens

Visualizações de página

Facebook