Saúde pública é o maior problema do governo Dilma, diz Mosconi

domingo, 21 de setembro de 2014

O presidente da Comissão de Saúde da ALMG, deputado Carlos Mosconi (PSDB), disse nessa quarta-feira (22) que os serviços de saúde no Brasil continuam sendo o maior problema do país. A afirmação foi feita um dia depois da divulgação da Pesquisa CNI/Ibope que avaliou o governo Dilma e seus principais desafios.

Na visão dos 2.002 brasileiros ouvidos, 67% desaprovaram a gestão na saúde. Na última pesquisa em dezembro, o setor também foi considerado o pior problema do governo federal.

“A presidente assiste passivamente a decadência do serviço de saúde público no Brasil. A população reclama sobre a situação com as autoridades municipais e estaduais. Já a União, detentora de 70% da carga tributária, cruza os braços e investe pouco na área”, afirmou Mosconi.

A insatisfação também é confirmada pelo Relatório de Desenvolvimento Humano de 2013, elaborado pela Organização das Nações Unidas (ONU), anunciado no dia 14/3. Entre 126 países analisados pela satisfação do sistema de saúde, o Brasil ficou na 108ª posição, com 44%.


“Nenhum país da América Latina teve índice de satisfação da saúde tão baixo quanto o Brasil. A exceção é só o Haiti (35%). Países como Bolívia (59%), México (69%), Venezuela (75%) e Uruguai (77%), consideraram os próprios serviços de saúde melhores do que a população brasileira”, ressaltou o presidente da Comissão de Saúde.


O país perdeu em satisfação até para países como o Afeganistão (46%), Serra Leoa (46%), Camarões (54%) e Senegal (57%). A média mundial também ultrapassou a brasileira: 61%. Em relação a população da América Latina, 57% demonstrou aprovar o serviço.


Texto: Janaina Massote - Assessora de Imprensa do dep. Carlos Mosconi (PSDB) - Gabinete Parlamentar em Belo Horizonte
Últimas Postagens

Facebook

Visualizações de página